Tantra: transcendendo o aspecto físico

O Tantra é uma técnica milenar criada pelos drádivas, povo que vivia antigamente na região norte da Índia.

Essa prática tem como objetivo melhorar a conexão entre o casal e proporcionar mais prazer durante a relação sexual.

tantra o que é e como praticar

O termo “tantra” vem do sânscrito e significa “tecer”, fazendo referência à ideia de que tudo na vida está interligado e em constante movimento.

Assim, o tantra busca promover uma conexão profunda entre os parceiros, transcendendo o aspecto físico e alcançando o nível espiritual.

Essa técnica milenar tem sido cada vez mais difundida e procurada, principalmente por casais que buscam uma relação mais harmoniosa e prazerosa.

Através de práticas como meditação, respiração e massagens, o tantra ensina a explorar e aproveitar o potencial do corpo e da mente para uma experiência transcendental.

O tantra também prega a quebra de tabus e a liberação de bloqueios emocionais e sexuais, possibilitando uma maior conexão e intimidade entre o casal.

Esta prática possui semelhanças com o yoga e no Ocidente é, de certa forma, banalizada e erroneamente associado a “super sexualidade”

Se você está em busca de uma forma de melhorar a sua relação e se conectar mais com o seu parceiro, continue lendo este artigo e descubra mais sobre essa técnica milenar e seus benefícios.

O que é Tantra

O Tantra é uma palavra em sãnscrito e sua tradução significa “tecer”, “udir” a trama de uma tapeçaria que se espalha.

Tem sua origem na Índia, busca a obtenção de autoconhecimento, bem-estar e felicidade através do equilíbrio entre o corpo e a mente.

Acredita-se que começou a surgir entre os séculos VI e VIII na Índia, mas foi durante o século XIX que o Tantra tornou-se mais conhecido e difundido no ocidente.

O Tantra possui várias práticas e crenças relacionadas ao equilíbrio físico, mental e espiritual.

Estas práticas são baseadas na filosofia budista e hinduísta, e envolvem: meditação, yoga, massagem, óleos essenciais, música, dança e alimentação.

No Tantra, acredita-se que para atingir nosso bem-estar completo, precisamos conectar nosso corpo e mente e nos ligar ao sagrado.

O Tantra busca o autoconhecimento. Não tem nada a ver com sessões ditas terapêuticas, onde os participantes ficam se alisando.

Não é sobre “soltar a franga” e ter orgasmos múltiplos, isso seria reduzir ao pó uma tradição milenar, uma cultura que infelizmente costuma ser corrompida pelo Ocidente.

Para quem procura algo destinado a relação sexual, sugiro o Kāmasūtra, uma obra Hindu sem nenhuma relação com o tantrismo.

É uma tarefa difícil encontrar uma obra com textos em sânscritos, relacionando diretamente o tantra com o sexo.

O Tantra é visto como uma das principais práticas espirituais da Índia e é considerado um caminho mais rápido e direto para atingir a iluminação.

Ele se difere de outras práticas espirituais por sua ênfase na experiência pessoal, em vez de crenças e dogmas.

Ao longo dos séculos, diferentes linhas e escolas tântricas surgiram, cada uma com suas próprias crenças e práticas.

Todas elas compartilham a ideia central de que o corpo é um templo sagrado e que a sexualidade pode ser uma forma de se conectar com o divino.

Origem e tradição do Tantra

A origem do Tantra remonta aos tempos antes de Cristo. É uma forma de espiritualidade que engloba todas as partes do ser humano, incluindo o corpo, a mente, emoções e as energias espirituais.

É considerado uma das mais antigas tradições espirituais do mundo, assim como o Yoga.

O Tantra tem suas raízes em uma tradição antiga que remonta ao período pré-vedico na Índia.

Durante esse período, a sociedade era fortemente influenciada por crenças animistas e xamanistas, que valorizavam a conexão com os elementos da natureza e o culto aos ancestrais.

Com o desenvolvimento do hinduísmo e do budismo, o Tantra foi gradualmente integrado a essas tradições, incorporando elementos de ambas.

Com o surgimento dos primeiros textos tântricos, como os Puranas e os Vedas, que influenciaram diretamente a filosofia e prática do Tantra.

Foi com o movimento Guhyasamaja que o Tantra começou a se consolidar como uma prática espiritual e uma filosofia de vida.

O movimento Guhyasamaja foi responsável por unificar os ensinamentos tântricos e dar uma estrutura filosófica mais sólida à tradição.

Dessa forma, o Tantra se tornou uma prática acessível a todas as castas e gêneros, diferente do que acontecia no Vedismo, que restringia o acesso às práticas espirituais apenas às castas superiores.

Apesar de sua origem na Índia, o Tantra também se espalhou para outras culturas, como o budismo tibetano e o hinduísmo nepalês, sendo adaptado e incorporado às tradições locais.

Logo, o Tantra adquiriu diversas formas e abordagens, mas sempre mantendo suas raízes históricas e filosóficas.

Na filosofia do tantra, acredita-se que a libertação é mais facilmente alcançada através do despertar da energia cósmica (Kundalini) contida na base da nossa coluna vertebra, em nosso chakra raíz.

Usando a respiração, o canto, a visualização, a dança, o movimento e a meditação para isso.

Inclui técnicas espirituais, físicas e mentais que são usadas para condicionar o corpo e a mente, alinhando as energias interiores (chakras) e exteriores.

O Tantra é uma sabedoria transmitida através da herança familiar como forma de fortalecimento da cultura.

Entre esses ensinamentos, estão a natureza do universo, a natureza de Deus, como alcançar a iluminação e viver de acordo com a lei universal.

O Tantra também ensina que todos os seres vivos estão interligados e que somos parte de um todo.

A prática visa nos conectar com a energia cósmica e a viver uma vida mais consciente.

A epistemologia do Tantra

qual a origem do tantra

A epistemologia do Tantra é um dos aspectos mais importantes e distintivos dessa filosofia.

Diferente de outras tradições espirituais, o Tantra se baseia na experiência pessoal e não em crenças ou dogmas estabelecidos.

Isso significa que o Tantra valoriza a prática e o autoconhecimento como ferramentas fundamentais para alcançar a iluminação.

No Tantra, não há verdades absolutas ou ensinamentos universais, pois cada indivíduo tem sua própria jornada e suas próprias experiências a serem vividas.

Por isso, a epistemologia do Tantra enfatiza a importância da prática e da vivência, incentivando cada pessoa a descobrir seu próprio caminho para a conexão espiritual e a autor realização.

Ao invés de seguir uma tradição ou um mestre específico, o Tantra encoraja você a se tornar seu próprio mestre através da experimentação e da busca pelo autoconhecimento.

Isso torna o Tantra uma filosofia muito pessoal e individual, adaptada às necessidades e experiências de cada indivíduo.

As diferentes linhas tântricas

Existem diversas linhas e tradições dentro do Tantra, cada uma com suas próprias filosofias, práticas e objetivos. Algumas das principais linhas incluem:

  • Tantra branco
  • Tantra negro
  • Tantra vermelho
  • Tantra sagrado feminino

O Tantra branco, também conhecido como o Tantra da Mão Direita, é uma linha que enfatiza o controle da energia sexual para alcançar a iluminação espiritual.

Já o Tantra negro, também chamado de Tantra da Mão Esquerda, enfoca mais na transgressão e na quebra de tabus para alcançar a transcendência.

O Tantra Vermelho, por sua vez, une elementos do Tantra Branco e do Tantra Negro, utilizando a energia sexual para alcançar a união com o divino.

O Tantra Divino Feminino é uma linha que valoriza o poder da energia feminina e a conexão com a divindade através do culto à Deusa.

Cada linha tântrica tem suas próprias técnicas, rituais e práticas para atingir seus objetivos.

É importante explorar e conhecer as diferentes linhas para encontrar aquela que melhor se alinha com suas crenças e objetivos pessoais.

Tantra branco

O tantra branco é uma prática espiritual pura, que busca transcender o ego por meio de técnicas mentais e físicas disciplinadas.

Uma jornada em busca da transcendência, do autoconhecimento e da união com o divino.

Seu objetivo é alcançar o estado de nirvana, um estado de paz interior e conexão com o universo.

O termo “branco” se refere à pureza e à luz que se busca alcançar através da prática.

Diferente do tantra vermelho, que envolve a união sexual, o tantra branco utiliza principalmente técnicas de yoga e meditação para atingir seu objetivo.

Essa jornada espiritual tem o propósito de transcender o ego, que é a identidade e personalidade individual, para alcançar um estado de unidade com o universo e com o divino.

É uma busca pelo autoconhecimento e pela conexão com o todo.

Prática de Yoga no tantra branco

Dentre as técnicas de yoga utilizadas no tantra branco, destacam-se asanas, pranayama e dhyana.

As asanas, ou posturas, ajudam a fortalecer o corpo físico e a desenvolver a consciência corporal.

Isso é essencial para a prática do tantra branco, pois a conexão com o corpo é um dos pilares fundamentais para transcender o ego.

O pranayama, ou controle da respiração, é outra técnica importante no tantra branco.

Ele permite o controle dos pensamentos e emoções, trazendo equilíbrio e clareza mental.

Meditação no tantra branco

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a meditação não se trata apenas de esvaziar a mente, mas sim de direcionar o foco e a atenção para algo específico.

No tantra branco, a meditação é utilizada para nos conectarmos com nossa essência mais pura e divina, nos afastando das distrações e ilusões do mundo exterior.

Através da meditação, podemos observar nossos pensamentos e emoções sem nos identificarmos com eles, o que nos permite transcender o ego e alcançar um estado de equilíbrio e paz interior.

A meditação no tantra branco ajuda a desenvolver a consciência plena e a concentração, que são fundamentais para as práticas mentais e físicas dessa jornada espiritual.

Para aqueles que se dedicam ao tantra branco, a meditação é uma ferramenta poderosa que auxilia no caminho rumo à iluminação e à transcendência do ego.

É através dela que podemos encontrar a verdadeira paz e felicidade interior, alcançando um estado de harmonia e conexão com o universo.

Tantra negro

O tantra negro se destaca por sua busca pela plena consciência dos desejos mais íntimos.

Diferente dos demais, o tantra negro tem como foco a aceitação e a exploração de desejos que muitas vezes são considerados tabus.

O tantra negro incorpora elementos da magia e do ocultismo e é frequentemente associado à prática de rituais e feitiçarias.

Porém, é importante ressaltar que não se trata de uma religião ou crença, mas sim de uma filosofia que busca o autoconhecimento e a libertação de tabus e limitações impostas pela sociedade.

Ao contrário do que muitos acreditam, o tantra negro não é sobre o culto ao mal ou à satisfação egoísta de desejos.

Pelo contrário, é uma busca pela aceitação e integração de todas as partes de si, incluindo as mais escuras e reprimidas.

É um caminho para a verdadeira liberdade e conexão consigo mesmo.

Dessa forma, o tantra negro pode ser uma poderosa ferramenta para aqueles que desejam explorar e compreender sua própria essência e se libertar de padrões e crenças limitantes.

É uma jornada de autoconhecimento e aceitação que pode trazer um profundo entendimento de si mesmo e de seus desejos mais íntimos.

Tantra vermelho

O Tantra Vermelho é uma vertente mais intensa e profunda, que busca a expansão da consciência através do prazer e da conexão com o corpo.

Uma ferramenta poderosa para a transformação espiritual através da sensualidade e sexualidade para alcançarmos estados de consciência mais elevados.

Embora tenha sido criado há milhares de anos, o Tantra Vermelho ainda é pouco conhecido no Ocidente, mas vem ganhando cada vez mais adeptos que buscam uma abordagem mais integrada e holística da sexualidade e da espiritualidade.

O termo “vermelho” se refere ao fogo, que é considerado um elemento fundamental no processo de transformação no Tantra Vermelho.

Ele também representa o aspecto ardente e intenso da sensualidade e sexualidade, que são consideradas fontes de energia vital e criatividade.

Ambas são valorizadas e exploradas como formas de alcançar uma maior compreensão de nós mesmos e do mundo ao nosso redor.

São abordadas com respeito e consentimento mútuo.

Não se trata de uma prática de exploração ou dominação, mas sim de uma jornada de autoconhecimento e conexão com o sagrado.

Esta abordagem espiritual é baseada na crença de que a energia sexual pode ser usada como uma ferramenta poderosa para alcançar níveis mais profundos de consciência e conexão com o divino.

No Tantra Vermelho, a sensualidade e a sexualidade são vistas como uma ponte para o despertar espiritual e a transcendência.

Tantra sagrado feminino

Shiva e Shakti ritual tântrico
Shiva e Shakti

No Tantra, o Sagrado Feminino é visto como uma das principais polaridades a serem equilibradas e honradas.

Isso porque a energia feminina, representada por Shakti, é a força criativa e transformadora que move todo o universo.

Dessa forma, o Tantra enxerga a sacralidade feminina como uma parte essencial da busca pela iluminação e pelo equilíbrio interior.

Através da incorporação e cultivo das qualidades de Shakti, como a criatividade, a intuição e a força, é possível alcançar uma conexão mais profunda com o divino e com o nosso próprio poder interior.

Shakti é vista como uma força divina presente em todos os seres humanos, tanto homens quanto mulheres.

Ela é a fonte de nossa energia e vitalidade, nos impulsionando a agir e a criar.

hiva é o Deus hindu responsável pela sustentação, destruição e regeneração do universo.

No Tantra, ele é representado como a energia masculina que dá poder e equilíbrio à Shakti.

No Tantra, ele é visto como um parceiro igualmente importante de Shakti, atuando como seu complemento e permitindo que sua energia seja canalizada e utilizada de forma harmoniosa e equilibrada.

Juntos, Shiva e Shakti representam a dualidade do universo e a importância da união entre o masculino e o feminino para alcançar a sacralidade e o despertar espiritual.

Ritual tântrico

Os rituais são uma parte fundamental do Tantra, pois são usados para atingir a conexão espiritual e o autoconhecimento.

Eles são realizados com a intenção de despertar a energia divina que habita em cada um de nós e, assim, alcançar um estado de unidade com o universo.

Existem diferentes tipos de rituais tântricos, desde práticas individuais até cerimônias em grupo. Alguns exemplos incluem:

  • Meditação
  • Mantras
  • Visualizações
  • Mmassagens sensuais
  • Rituais de adoração aos deuses e deusas

Tais rituais tântricos ajudam a melhorar a relação entre o casal, aumentando a intimidade e o prazer sexual.

São uma forma de expressar gratidão e reverência pelo corpo e pela sexualidade.

É importante ressaltar que os rituais tântricos devem ser realizados com o consentimento e o respeito mútuo entre os participantes.

Eles não devem ser utilizados para manipulação ou abuso e devem ser praticados dentro dos limites de cada indivíduo.

Em resumo, os rituais tântricos são uma ferramenta poderosa para alcançar a conexão espiritual e o autoconhecimento, além de promover a intimidade e o prazer na relação sexual.

Ao escolher praticar o Tantra, é importante buscar orientação e aprender com um mestre qualificado para obter os benefícios máximos dessas práticas.

Ao praticar o Tantra, você estará explorando o poder do amor incondicional para uma conexão profunda com o seu parceiro (a).

Relação Tantra e sexo

Shiva lingam símbolo da fertilidade e da união sexual no Tantrismo
Símbolo da fertilidade e da união sexual no Tantrismo (Shiva lingam)

O tantra é conhecido por sua conexão com o sexo, mas como vimos acima, essa associação é muito superficial.

A filosofia Tantra envolve um holismo que conecta o corpo, mente e espírito de duas pessoas.

É uma abordagem mais profunda à arte de fazer amor. Para entendermos plenamente o tantra, é importante se aprofundar no papel que o sexo desempenha nessa arte milenar.

O Tantra é basicamente uma forma de meditação, o caminho para obter o autoconhecimento.

É a arte de buscar a divindade dentro do coração através da consciência sexual. É mais sobre o amor, a empatia e o respeito por outra pessoa.

Envolve não apenas o encontro de corpos, mas também o encontro de almas, uma forma de nos conectarmos mais profundamente com a nossa própria natureza divina.

Sexo como fonte de prazer

Para o Tantra, é importante entender e explorar o sexo como uma fonte de prazer e conexão espiritual.

De acordo com essa tradição, o prazer sexual é visto como uma forma de alcançar estados mais elevados de consciência e expandir a energia vital.

Para ampliar o prazer sexual, o Tantra utiliza técnicas e práticas específicas, como a respiração consciente, a meditação e o uso de mantras.

Essas práticas podem ajudar a prolongar o tempo de excitação e aumentar a intensidade do orgasmo.

É importante ressaltar que no Tantra, o consentimento e o respeito mútuo são fundamentais na prática do sexo. Dessa forma, a experiência se torna não apenas prazerosa, mas também uma oportunidade de conexão profunda e respeito pela outra pessoa.

O Tantra valoriza a importância de uma sexualidade saudável, consensual e livre de julgamentos.

Sexo como expressão do Divino

A filosofia tântrica enxerga o sexo como um importante meio de expressar e vivenciar a divindade.

Na tradição tântrica, o sexo é visto como uma prática sagrada e espiritual, que permite uma conexão profunda com o divino e a manifestação do amor incondicional.

O Tantra reconhece que o corpo humano é um templo sagrado que abriga a centelha divina, e através do sexo é possível acessar e despertar essa energia divina.

O ato sexual, quando praticado com consciência e intenção, pode ser uma forma de adoração e comunhão com o divino.

Na visão tântrica, o sexo não é apenas uma fonte de prazer físico, mas também espiritual.

Através do prazer sexual, é possível alcançar um estado de êxtase e transcendência, que permite uma conexão direta com o divino.

O Tantra ensina que a união sexual entre duas pessoas pode ser uma maneira de se conectar com a energia divina presente em cada ser humano.

O Tantra une o físico e o espiritual através do sexo, reconhecendo a importância de ambos os aspectos para uma vida plena e equilibrada.

A sexualidade é uma parte natural e sagrada do ser humano e que deve ser celebrada e explorada com respeito e consciência.

Dessa forma, o sexo se torna uma expressão do divino e uma ferramenta para o crescimento espiritual.

Relação do Tantra e o Yoga

O tantra e o yoga são duas práticas milenares que têm ganhado cada vez mais popularidade nos dias de hoje.

Ambas têm como objetivo principal o aprimoramento pessoal e espiritual, com suas raízes na Índia e compartilham o objetivo de promover o aprimoramento pessoal e espiritual.

Historicamente, o tantra é considerado uma tradição mística e esotérica, enquanto o yoga tem suas origens nas escrituras védicas e é mais conhecido por suas posturas físicas (asanas) que buscam a uniam entre o corpo físico e a mente.

Ambas têm sido utilizadas como ferramentas para promover o autoconhecimento e a busca pelo equilíbrio.

Duas práticas que compartilham um profundo respeito pela conexão entre o corpo, a mente e o espírito.

Um dos princípios fundamentais do tantra é a aceitação de si mesmo e do mundo ao seu redor, sem julgamentos ou resistências. Já o yoga traz o conceito de autoconhecimento e autocontrole, através da prática de posturas físicas e da meditação.

Portanto, ao praticar o tantra e o yoga, é possível alcançar um estado de paz interior, bem-estar físico e mental, e uma conexão mais profunda com o universo e consigo mesmo.

Conclusão

O Tantra é uma prática milenar que busca promover a conexão profunda entre os parceiros, transcendendo o aspecto físico e alcançando o nível espiritual.

Através de técnicas como meditação, respiração e massagens, o Tantra ensina a explorar e aproveitar o potencial do corpo e da mente para uma experiência transcendental.

Essa técnica tem sido cada vez mais difundida e procurada, principalmente por casais que buscam uma relação mais harmoniosa e prazerosa.

O Tantra prega a quebra de tabus e a liberação de bloqueios emocionais e sexuais, possibilitando uma maior conexão e intimidade entre o casal.

É importante ressaltar que o Tantra não se trata apenas de sexo, mas sim de uma filosofia que busca o autoconhecimento e a conexão espiritual.

É uma jornada de descoberta e aceitação de si mesmo e do parceiro, através do amor incondicional e do respeito mútuo.

Se você está em busca de uma forma de melhorar a sua relação e se conectar mais com o seu parceiro, o Tantra pode ser uma opção interessante.

Explore essa prática milenar, busque orientação e aprenda com mestres qualificados para obter os benefícios máximos dessa jornada espiritual.

O Tantra pode ser uma poderosa ferramenta para promover a intimidade, o prazer e o crescimento pessoal.

Lembre-se sempre de praticar o Tantra com consentimento e respeito mútuo, e aproveite essa oportunidade de explorar e celebrar a sua sexualidade de forma sagrada e consciente.

Que o Tantra possa trazer mais conexão, amor e harmonia para a sua vida e para a sua relação.

Com a adequada compreensão, vamos obter as melhores experiências ao praticar esse antigo conhecimento.

Embora os princípios do Tantra possam fluir para diversos campos da vida, a prática específica é um processo contínuo de desenvolvimento de consciência.

Por isso, a jornada em busca dessa antiga sabedoria continua, com o objetivo de elevar nossa consciência e nos conectar ao nosso Eu interior.

Perguntas frequentes

O que é Tantra?

O Tantra é uma prática milenar que busca o equilíbrio entre o corpo e a mente, promovendo o autoconhecimento, o bem-estar e a conexão espiritual. Originário da Índia (Povos Dravidianos), o Tantra envolve diferentes técnicas, como meditação, yoga, massagem e alimentação.

O que o Tantra busca alcançar?

O Tantra busca alcançar a conexão profunda entre os indivíduos, transcender o aspecto físico e alcançar o nível espiritual. Ele também prega a quebra de tabus e a liberação de bloqueios emocionais e sexuais, possibilitando uma maior conexão e intimidade entre o casal.

Qual é a relação do Tantra com o sexo?

O Tantra reconhece o sexo como uma prática sagrada e espiritual, que permite uma conexão profunda com o divino e a manifestação do amor incondicional. O sexo no Tantra é visto como uma expressão do divino e uma ferramenta para o crescimento espiritual.

Qual é a relação do Tantra com o yoga?

O Tantra e o yoga têm como objetivo principal o aprimoramento pessoal e espiritual. Ambas as práticas têm origem na Índia e compartilham o objetivo de promover o autoconhecimento e o equilíbrio entre o corpo, a mente e o espírito.

Quais são as diferentes linhas tântricas?

O Tantra possui diferentes linhas e tradições, como o Tantra branco, o Tantra negro, o Tantra vermelho e o Tantra sagrado feminino. Cada linha tem suas próprias filosofias, práticas e objetivos específicos.

Rolar para cima