Yoga tradicional indiano: os fundamentos e variações

O yoga é uma prática que vai muito além de posições físicas desafiadoras; é um caminho de autodescoberta e espiritualidade com raízes que se estendem por milhares de anos na história da Índia.

Este artigo visa explorar a rica tapeçaria de tradições e ensinamentos que formam o coração do yoga e como ele evoluiu para se tornar o fenômeno global que é hoje.

Yoga ou ioga tradicional indiano

Para aqueles que buscam compreender a profundidade e a beleza do yoga, acompanhar a sua história é um passo essencial.

Afinal, ao se aprofundar nas raízes dessa prática, os praticantes frequentemente se veem inspirados a realizar uma viagem ao seu lugar de origem: a vibrante e mística Índia.

O Que é yoga tradicional indiano?

Para os antigos, Yoga era um sistema completo, de asanas, respiração e meditação, do qual as posturas não eram tão variadas, mas tão útil quanto hoje.

Todo o propósito do Yoga era de natureza espiritual, de acordo com os sábios da antiguidade.

As posturas, como nós as conhecemos, aparecem muito tempo depois. Ainda hoje, nos referimos ao texto de Patanjali, que também envolve o conceito de chakras para praticar o Yoga.

Devemos a prática dele a um homem indiano, Tirumalai Krishnamacharya, que tornaria o Yoga um sistema acessível a todos, reproduzível e até exportável.

A palavra “Yoga” vem do sânscrito (um dos idiomas antigos da Índia),e significa “união”.

Crie momentos de autocuidado e conexão onde e quando quiser: Aulas de yoga online

É um dos sistemas clássicos da filosofia da Índia, diferenciado dos outros pelo surpreendente controle corporal e poderes mágicos atribuídos a seus devotos mais avançados.

Tipos de yoga mais comuns na Índia

Em suma, a prática do Yoga é um conceito reivindicado por algumas religiões como hinduísmo, budismo e jainismo.

Mas todas elas contemplam um conjunto de disciplinas físicas tradicionais originárias da Índia.

1. Kundalini Yoga

Yogi Bhajan, professor e líder espiritual, trouxe esse estilo de Yoga para o Ocidente no final dos anos 1960.

Kundalini” em sânscrito significa “energia da força vital” (conhecida como prana na comunidade do Yoga), que se acredita estar fortemente atrelada na base da espinha.

As sequências de Kundalini Yoga são cuidadosamente projetadas para estimular ou desbloquear essa energia e reduzir o estresse e o pensamento negativo.

É realizado desafiando a mente e o corpo com cânticos, meditação e kriyas (séries específicas de posturas combinadas com trabalho de respiração e cânticos).

2. Vinyasa Yoga

Este é um estilo de Yoga em que as posturas são sincronizadas com a respiração em um fluxo rítmico contínuo.

O fluxo pode ser de natureza meditativa, acalmando a mente e o sistema nervoso, embora você esteja se movendo.

Vinyasa yoga é adequado para aqueles que nunca experimentaram Yoga, bem como para aqueles que praticam há anos.

3. Hatha Yoga

Hatha Yoga deriva seu nome das palavras sânscritas para sol e lua, e é projetada para equilibrar forças opostas.

O equilíbrio na Hatha Yoga pode vir da força e flexibilidade, da energia física e mental ou da respiração e do corpo.

É usado como um termo abrangente para o lado físico do Yoga, é mais tradicional por natureza ideal para os iniciantes.

Para serem consideradas Hatha, as aulas devem incluir uma mistura de asana, pranayama (exercícios respiratórios) e meditação.

4. Ashtanga Yoga

Ashtanga Yoga consiste em 6 séries de posturas específicas ensinadas em ordem. Cada asana e cada série é “dada” a um aluno quando seu professor decide que ele dominou a anterior.

Este é um estilo de Yoga muito físico e fluido com componentes espirituais.

Os professores do Ashtanga fazem ajustes práticos ao estilo de Mysore (que leva o nome da cidade onde o guru da prática, Sri K. Pattabhi Jois viveu e ensinou), cada aluno tem uma prática única.

O praticante se move no ritmo de sua própria respiração e até seu limite pessoal.

Ashtanga vinyasa Yoga é frequentemente ensinada como aulas “conduzidas” e não há música tocada nas aulas de Ashtanga.

5. Yin Yoga

Yin Yoga é um estilo mais lento de Yoga em que as posturas são mantidas por um minuto e, eventualmente, até cinco minutos ou mais.

Saia do automático praticando Yoga da sua casa, no seu tempo! Saiba Mais

É um tipo de yoga com raízes nas artes marciais, e é projetado para aumentar a circulação nas articulações e melhorar a flexibilidade.

A prática concentra-se nos quadris, região lombar e coxas e usa adereços como almofadas ou blocos para permitir que a gravidade faça o trabalho, ajudando a relaxar.

Enquanto outras formas de Yoga se concentram nos principais grupos musculares, o Yoga Yin tem como alvo os tecidos conjuntivos do corpo.

6. Bikram Yoga

Bikram Choudhury desenvolveu o Bikram Yoga. É uma forma de Yoga quente.

Essas aulas, como as aulas de Ashtanga, consistem em uma série de poses feitas na mesma ordem, e a prática tem regras rígidas.

Cada aula tem duração de 90 minutos, com 26 posturas e dois exercícios respiratórios, e a sala deve estar com 40% de umidade.

Os devotos da ioga quente elogiam a enorme quantidade de suor e a flexibilidade adicional que a prática lhes dá.

Praticar Yoga em um ambiente aquecido permite que os alunos se aprofundem nas posturas, melhora a circulação e ajuda a desintoxicar o corpo.

Conclusão

Há muitos asanas, técnicas de respiração e elementos envolvidos na prática do Yoga tradicional indiano realizada até hoje. A Yoga é uma filosofia de vida que veio da Índia para nós ocidentais.

O yoga é uma janela para um mundo de autoconhecimento e conexão espiritual.

Ao embarcar na fascinante jornada através da história do yoga, descobrimos que cada postura, cada respiração e cada momento de meditação são ecos dos antigos mestres e da sabedoria que eles compartilharam.

É inspirador perceber como o yoga se adaptou e prosperou em diferentes culturas, tornando-se uma ponte entre tradições ancestrais e o dinamismo da vida moderna.

Para aqueles dentre nós que trilham esse caminho, aprender sobre suas origens não é apenas enriquecedor; é uma forma de honrar a essência de uma prática que molda continuamente nossas vidas e nosso bem-estar.

Talvez a verdadeira beleza do yoga resida nessa capacidade de ser atemporal e universal, mantendo-se relevante e acessível a todos, independentemente de onde estejamos.

Ao nos conectarmos com as raízes do yoga, somos convidados a visitar não só a incrível Índia, mas também os retiros mais profundos de nossa própria alma.

E assim, a prática do yoga continua a ser um convite para explorar o mundo e a nós mesmos, um asana de cada vez.

Que a sua prática seja sempre um ato de amor e descoberta. Namastê.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima